Últimas Notícias
 

Ofertas de fundos na bolsa crescem 27% neste ano

 
Valor Econômico - 25/10/2011
 

Enquanto o mercado acionário vê mingar as ofertas públicas de ações, os registros de fundos imobiliários na bolsa cresceram 27,08% neste ano, até setembro, somando 61 operações.

No mês passado, havia 61 carteiras com cotas negociadas na BM&FBovespa, que somavam um patrimônio líquido de R$ 8,019 bilhões, representando um valor de mercado de R$ 10,35 bilhões.

Antes restritos a poucos imóveis, o patrimônio dos fundos imobiliários tem crescido com muitas gestoras optando por realizar ofertas secundárias para pulverizar a carteira e captar recursos para novos investimentos. Com isso, o número de investidores na bolsa mais do dobrou em relação ao ano passado, passado de 21.216 cotistas para 45.258 em setembro.

O crescimento dos participantes trouxe maior liquidez para esses ativos. O número de negócios registrados neste ano, até setembro, cresceu 115,7% em relação ao ano passado, registrando 53.877 negociações.

Apesar da popularização dos fundos imobiliário nos últimos anos, ainda há uma grande quantidade de carteiras pequenas no mercado. Mas é algo que tende a mudar, avalia Alexandre Freitas, gestor de ativos imobiliários da Credit Suisse Hedging-Griffo. Para ele, fundos maiores são melhores para o investidor, pois aumentam a possibilidade de negócios no mercado secundário, dando liquidez ao investimento.

Com retorno de 18,3% no ano até setembro, o CSHG Real Estate também aplica em lajes corporativas e está com sua quinta emissão de cotas no mercado atualmente, no valor de R$ 162,4 milhões. A carteira investe em lajes performadas, ou seja, já construídas, conforme informações contidas no prospecto do fundo.

Segundo Freitas, uma Selic abaixo de 10% já deixa os fundos imobiliários bastante competitivos, já que as carteiras conseguem projetos com retorno entre 9% e 10%. A CSGH tem hoje oito fundos imobiliários sob gestão, que somam patrimônio de R$ 1,650 bilhão. (SR e Luciana Monteiro)